As festas de Carnaval mais tradicionais do Brasil

January 23, 2017

Blocos, escolas de samba, vestindo abadá ou fantasia... O melhor das festas de Carnaval pelo país

Apesar de ser uma festa em que o Brasil é seu maior representante, o Carnaval foi criado muito longe daqui, sem direito a samba, batuque e fantasias. Sua origem remonta ao território grego – no período entre 600 e 520 a.c. – com intuito de celebrar o fim do inverno e o início da época de plantações.

No século 11, a Igreja Católica incluiu o festejo em seu calendário sinalizando o início do período quaresmal. Durante quatro dias, os fieis poderiam comer carne a vontade.

Os portugueses trouxeram a festa para o Brasil, mas somente com a gravação do samba Pelo Interfone (1917) é que começou a tomar a forma que conhecemos hoje. Entre desfiles de escolas de samba e animados blocos de rua, selecionamos as principais festas espalhadas pelo Brasil.

 

  • 1. Blocos de rua de São Paulo

    Monobloco, no Carnaval 2016

     

     (Carlos Varela/Flickr/creative commons)

    Longe das alegorias do Sambódromo do Anhembi, outros blocos também fazem a festa em São Paulo (SP). Sem vender abadá nem cobrar ingresso, eles se multiplicam. Eles garantem o ziriguidum nas ruas até o início dos desfiles do Grupo Especial. Entre os destaques estão Acadêmicos do Baixo Augusta e Ritaleena.

 

  • 2. Blocos de rua do Rio de Janeiro

    Desfile do Bloco Céu na Terra no bonde de Santa Teresa, no Rio de Janeiro

     (Wikimedia commons)

    O Carnaval do Rio começa em janeiro, com os mais de 400 blocos de rua que recebem permissão para desfilar. Há o tradicional Cordão da Bola Preta, na Cinelândia; o Suvaco do Cristo, com concentração no Jardim Botânico; o animado Largo do Machado, Mas Não Largo do Copo, que se concentra na Adega Portugália. Para os que preferem as ruas de Ipanema, o Simpatia É Quase Amor tem concentração na Praça General Osório. Um dos mais divertidos é o Bloco das Carmelitas, de Santa Tereza, uma irreverente homenagem ao Convento das Carmelitas, no mesmo bairro.

 

  • 3. Sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro

     

    (Pedro Kirilos/Riotur)

    A beleza dos desfiles na Rua Marquês de Sapucaí, que recebe quase 60 mil pessoas por noite, fez a fama do Carnaval no Rio de Janeiro. É no sambódromo inaugurado em 1984, chamado Passarela Darcy Ribeiro, que as 12 escolas do Grupo Especial desfilam durante dois dias. Mas elas não são as únicas a compor a festa. As agremiações do Grupo de Acesso disputam o primeiro lugar para ascender ao Grupo Especial; já as do Grupo de Base têm origem popular e são caracterizadas por serem pequenas.

 

  • 4. Sambódromo do Anhembi, em São Paulo

     

    (Edu Lopes)

    Em São Paulo, as escolas desfilam no Pólo Cultural e Esportivo Grande Otelo, nome oficial do Sambódromo do Anhembi. Os 530 metros são percorridos por 14 agremiações do Grupo Especial, em dois dias, e por oito do Grupo de Acesso, em apenas um dia de desfile.

 

  • 5. São Luiz do Paraitinga

     

    (Marcelo Barabani)

    Samba e axé são proibidos por lei. É sério. Um decreto municipal determina que no Centro Histórico de São Luiz do Paraitinga podem soar apenas marchinhas. Isso acontece desde 1981, quando ressurgiu a festa, banida pela Igreja Católica durante 50 anos. Desde então a cidade ficou famosa por organizar um festival de marchinhas escritas por compositores locais.

 

  • 6. Salvador

    (Gustavo Scatena)

    Para animar os cerca de 500 mil turistas, os trios-elétricos percorrem três circuitos principais: o Batatinha (no Pelourinho), o Dodô (entre as praias da Barra e da Ondina) e o Osmar (do Corredor da Vitória à Avenida Sete de Setembro, passando pela Praça do Campo Grande). Os blocos mais famosos, como o Camaleão e oEva, fazem o circuito Dodô e Osmar. O Ilê Ayê, um dos mais bonitos, faz um ritual para pedir harmonia, no sábado de Carnaval, no Morro do Curuzu.

 

  • 7. Recife

     

    (Fernando Silva/ Prefeitura do Recife)

    A capital pernambucana é a cidade carnavalesca mais democrática do Brasil, com blocos que desfilam nas ruas sem cobrar nada dos foliões e diversas manifestações culturais de frevo, maracatu, samba, rock, reggae e muitos outros estilos musicais. Dá para optar pela grandiosidade, com o Galo da Madrugada ou pela tradição dos blocos menores, como o Bloco da Saudade.

 

  • 8. Olinda

     

    (Passarinho/Prefeitura de Olinda)

    Em Olinda, o frevo e o maracatu reinam durante o Carnaval. São vários blocos e diversas atrações durante os cinco dias de festa, além do pré-carnaval (que também ocorre em Recife). O Sala da Justiça, um dos mais animados, tem concentração no Alto da Sé. Além disso, há o tradicional Encontro de Bonecos Gigantes, que reúne membros de diversos blocos.

 

  • 9. Florianópolis

     

    (Felipe Carneiro)

    No complexo de entretenimento Music Park, no norte da ilha, a festa rola ao som de DJs brasileiros e europeus, que se revezam durante as quatro noites para embalar o feriado com muita música eletrônica. No Centro, a folia acontece na Passarela Nego Quirido, com o desfile das escolas de samba locais.

 

  • 10. Ouro Preto

     

    (Eduardo Tropia/ Prefeitura de Ouro Preto)

    Durante o Carnaval, as ladeiras de paralelepípedos da cidade ficam agitadas com blocos como Zé Pereira Clube dos Lacaios, o primeiro da cidade, cujas principais alegorias são bonecos com mais de dois metros de altura.

 

  • 11. Diamantina

     

     

    (Célio Apolinario)

    A popularização de grupos como a Bartucada e a Bat Caverna transformou o feriado num dos mais concorridos do estado. Turmas de universitários lotam pousadas, casas alugadas e repúblicas. madrugada adentro, invadem a praça do mercado Velho para curtir os shows e a azaração. Até uma área vip tem sido montada para os turistas mais exigentes.

 

  • 12. Paraty

     

    (Jordan Fischer/jordanfischer/Flickr)

    Blocos arrastam foliões fantasiados ao lado de bonecões de papel machê feitos por artistas locais. No Bloco da Lama, moradores e turistas cobrem-se com a lama da Praia Jabaquara para brincar à beira-mar. Há ainda o Carnamar, que elege o "barco alegórico" mais bonito de Paraty.

Fonte: http://viagemeturismo.abril.com.br/materias/festas-de-carnaval-pelo-brasil/

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Ilha da Madeira: piscinas naturais, museu do CR7 e outras atrações turísticas

December 18, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes

December 14, 2018

Please reload

Arquivo