ONDE COMER EM BUENOS AIRES

July 3, 2018

 

Mesmo tendo ficado apenas 5 dias em Buenos Aires nós procuramos várias indicações de onde comer por lá. No quesito restaurantes, procuramos os mais porteños, ou seja, onde comeríamos comida argentina mesmo. Mas para o café da manhã e lanches procuramos opções mais modernas. Saímos com uma boa lista, não para correr atrás, mas, caso estivéssemos por perto, saberíamos qual lugar seria legal. Ah, e temos a nosso favor que a Isabella não é chata para comer!

 

Mas como sempre, alguns lugares decepcionam, outros surpreendem e acabamos encontrando outros, por acaso, que adoramos.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Palermo Café: nosso primeiro café da manhã desta viagem foi bem típico com medialunas e café e a Isabella comeu um pratão de ovos mexidos com presunto e queijo que estava fantástico. Chão surrado, móveis escuros e pesados, um balcão enorme detrás do qual saem deliciosas medialunas, ou seja, legitimamente porteño. Encontramos por acaso, procurando um lugar para comer próximo à estação de metrô (Av. Santa Fe 4599 esquina Godoy Cruz, Palermo).

 

 

Confiteria Malvon: mistura lugar típico com uma decoração mais moderna, mas nem tanto. A Isabella foi mais uma vez nos ovos mexidos com presunto e queijo e nós adultos dividimos scones com geleia e manteiga, acompanhados de café. Os scones eram gostosos, porém beeeeem menores do que esperávamos. Como o prato da Isabella era enorme, não precisamos de mais comida – atacamos o dela! (Lafinur 3275, Palermo – a que visitamos, ou Serrano 789, Villa Crespo – http://www.malvonba.com.ar)​ 

 

 

MoreMore: no nosso último café da manhã escolhemos o mais moderninho de todos. Lugar super amplo e bem agradável com uma decoração de bom gosto e nada afetada. Parecia que estávamos na casa de alguém, ainda mais por termos sentado em um conjunto de sofá e poltronas. Escolhemos uma medialuna recheada com presunto e queijo para cada e a Isabella foi de brownie e suco de laranja (El Salvador 5721, Palermo – http://www.moremore.com.ar).

 

ALMOÇO

 

El Club de la Milanesa: o nome já entrega o prato principal – milanesas. Nós pedimos a de gado, tamanho grande, metade clássica e metade patagônica (com rúcula, presunto cru e tomates confitados). Não conseguimos comer toda de tão grande que era! As opções são muitas. Milanesa fininha, sequinha e deliciosa (fomos no da Av. Callao 1077 quase esquina Santa Fe, Barrio Norte – na Recoleta também tem na Azcuenaga 1898 – e vários outros locais – http://www.elclubdelamilanesa.com).

 

i Central Market: a Isabella estava com fome e paramos ali para ela recarregar as energias. Ela escolheu uma salada e brownie. A salada estava ótima – enorme, tanto que ela não conseguiu comer toda e o brownie estava bem ruinzinho, mas no geral, a experiência foi legal. Se estivéssemos indo para o apartamento, dava para ter levado algumas gostosuras para comer mais tarde (Pierrina Dealessi esquina Macacha Güemes, Puerto Madero – http://www.icentralmarket.com.ar).

 

La Panera Rosa: a ideia era fazer apenas um lanche, pois estávamos com um pouco de fome, mas quando chegamos ao La Panera Rosa exageramos no pedido. Cada um pediu um item e acabou sendo demais. Um waffle com omelete (tão bom quanto a aparência :(), uma torta de brownie e um sundae (ambos excelentes). Os doces eram enormes e remamos para acabar com o sundae. A torta, levamos quase inteira para o apartamento! O lugar é charmoso e bem decorado, mas achamos os preços salgados (Jorge Luis Borges 1685, Palermo – e outros locais – http://www.lapanerarosa.com.ar).

 

Juana de Oro: depois de passear pelo Jardim Japonês e Rosedal, bateu a fome. Saímos a procura de um restaurante nas imediações da embaixada americana e, por indicação de um senhorzinho de uma banca de jornal, encontramos o Juana de Oro, mas com a ressalva de ser caro. Chegamos lá e não nos espantamos com o preço, especialmente quando vimos que incluía uma bebida e sobremesa. Cada um pediu um prato. As moças foram de mini bife de chorizo com ovo frito e papas fritas e de sobremesa salada de frutas. Já eu escolhi um sorrentino com molho misto e de sobremesa um flan. Tudo bem gostoso e sem turistas (Fray Justo Sta. Maria de Oro 2899, Palermo).

 

JANTA

 

El Rey del Vino: indicação da proprietária do apartamento, mais um típico argentino. Cardápio bem extenso, com a vantagem de não cobrar cubierto (couvert) e dar desconto para pagamento en efectivo (em dinheiro). Pedimos um bife de chorizo com papas fritas que estava uma delícia! E a cesta de pães oferecida na entrada já ajudou a acalmar a fome (Paraguay 5001 esquina Juan B Justo).

 

Burguer Joint: passamos em frente a algo que parecia uma garagem escura, com música alta, cheia de gente e um cartaz na janela – um dos melhores hambúrgueres do mundo. Como adoramos hambúrguer, se não encontrássemos nenhum outro restaurante que chamasse atenção, voltaríamos. E foi o que fizemos. Demos uma volta pela Plaza Serrano e quando vimos estávamos quase na frente do Burguer Joint. Olhamos o cardápio (escrito em pedaços de caixas de papelão) e batemos o martelo. Até conseguimos pegar uma mesa! Por menos de 300 pesos comemos super bem e, sim, foi um dos melhores hambúrgueres que já comemos. Não é sempre que misturar tomates secos, cebola caramelizada, queijo gorgonzola em um hambúrguer – que comemos com catchup de curry – dá certo! Lá pelas tantas a Isabella tascou : “esse lugar não tem nada a ver com a gente, mas está legal”. Pois é, tivemos que concordar. Lugar escuro, paredes rabiscadas, música alta, decoração nem um pouco convencional, mas comida excelente (Jorge Luis Borges 1776, Palermo – Facebook).

 

 

Urban Taco: ainda sofrendo com a overdose de açúcar do Panera Rosa, queríamos comer algo não muito grande e fomos ver as opções do disponíveis no Distrito Arcos. Gostamos da proposta do Urban Taco e foi lá mesmo que pegamos a janta, para comer no apartamento. Dividimos dois burritos entre nós três. Bem gostoso (Paraguay 4979, Palermo – no Distrito Arcos Outlet).

 

El Trapiche: outra indicação da proprietária do apartamento e também bem típico. Muitas carnes e massas. Pedimos uma milanesa com creme de choclo (milho) e um prato de nhoques. A mesa ao lado da nossa fez um pedido de assado de tiras que, pela quantidade de carne, devem ter ficado a noite toda comendo  (Paraguay 5099 esquina Humboldt).

 

Ainda passamos no Hipermercado Jumbo (Av. Bullrich 345, Palermo) e compramos mantimentos suficientes para um café da manhã e uma janta no apartamento.

 

O que nos assustou foi o valor das bebidas – sempre pela casa dos 30 a 40 pesos (água com gás e refrigerantes) – e foram elas que encareciam as refeições. Em compensação uma garrafa de água de 2 litros no super era super barata!

 

Para outras dicas do que comer em Buenos Aires, dá uma olhada nesse nosso outro post aqui: Dicas de Buenos Aires.

 

O que acharam das nossas dicas de onde comer em Buenos Aires? Vocês tem algum restaurante legal para indicar?

 

Quer dicas de onde ficar em Buenos Aires, nós aprovamos estes hotéis:

 

Marseille des Anges: no nosso pedaço favorito de Buenos Aires.

 

Ayres de Recoleta: tem cozinha, o que facilita bastante para fazer refeições “em casa”. Está no burburinho da Recoleta.

 

Howard Johnson Hotel Boutique Recoleta: Ótimo quarto, mas com a localização “pior” dos 3, mas ainda assim, boa.

 

Fonte: malasepanelas

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Ilha da Madeira: piscinas naturais, museu do CR7 e outras atrações turísticas

December 18, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes

December 14, 2018

Please reload

Arquivo